O Foco não é a Crise!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Você sabia que Mickey Mouse não foi o primeiro personagem de Walt Disney? Mas aí você pode perguntar: o que isso tem a ver com o título do artigo? A resposta é muito simples: tudo Check Out Your URL. Mickey Mouse foi uma resposta de Walt Disney a um inesperado episódio de sua vida.

O ano era 1926. Walt Disney criava seu primeiro personagem: Oswald – The Lucky Rabbit (Oswald – O Coelho Sortudo). O desenho foi um sucesso instantâneo e passou a ser distribuído pela Universal Pictures (que mais tarde se tornaria Universal Studios).

Em 1928, Disney foi para Nova Iorque para pedir um aumento no valor que recebia pela distribuição do desenho. Mas, ao chegar lá, a decepção. Ele não conseguiu o aumento que desejava, perdeu os direitos sobre seu personagem e ainda descobriu que quase todos os seus animadores haviam sido contratados pela Universal.

 Walt tinha vários motivos para se lamentar, mas, em vez disso, começou a refletir e chegou à seguinte conclusão: preciso logo de outro personagem. E foi na própria viagem de volta a Los Angeles que surgiu a inspiração para seu novo personagem. Disney pegou um guardanapo e começou a rabiscar um camundongo parecido com um de verdade que ele costumava alimentar em seu estúdio. A princípio, ele se chamaria Mortimer, mas a esposa dele, Lilly, sugeriu aquele que se tornaria seu nome definitivo. Mickey Mouse se transformou em um grande sucesso, principalmente depois da exibição de “Steamboat Willie”, o primeiro desenho animado com som sincronizado. Naquela época, a maioria dos estúdios ainda estava produzindo filmes mudos, enquanto a Disney adotou som e elevou o padrão.

O camundongo dócil, íntegro e ingênuo passou a conquistar fãs por toda parte e, em 1934, já faturava 600 mil dólares em merchandising. Enquanto Mickey se consolidava como o principal símbolo do que viria a se tornar o maior império de entretenimento do planeta, o coelho Oswald sumia do mapa – até ser novamente adquirido pela Disney, em 2006.

Sem dúvida alguma, a grande lição desse episódio é a rapidez com que Walt Disney voltou seu foco para a solução do problema (a perda dos direitos sobre o coelho Oswald). Fica a reflexão: será que temos sido tão rápidos quanto Disney na busca de soluções para os nossos desafios diários? Ou será que nosso foco ainda está na crise?